Aquele sentimento que se chama saudade.

Sabe aquela vontade crescente de estar perto de quem a gente gosta, de viajar para aquele nosso lugar favorito, sentir cheiros que nos lembram a infância ou comer aquela comida que "só uma pessoa no mundo todo" sabe fazer tão bem? Então, a verdade é que, em pleno século XXI, estamos experimentando (com toda a intensidade possível) um sentimento que os portugueses séculos atrás chamaram de SAUDADE.


Nessas horas de quarentena, como não pensar nos nossos ancestrais que saíram de casa - muitos sem perspectiva de volta - para um lugar completamente novo, onde tudo que tinham eram o sonho de construir uma história melhor para seus descendentes? A saudade devia ser enorme. Sem dúvida, alguns devem ter se arrependido e desejado voltar para casa para abraçar quem ficou para trás. Outros nem mesmo tiveram escolha: foram forçados a entrar em um navio e viajar pela imensidão do mar, chegando numa terra nova como cativos e esperando por dias melhores.


Seja qual for a nossa história, uma coisa é verdade: a saudade continua. A boa notícia é que tudo isso vai passar. Temos esperança que, muito em breve, estaremos todos pertinho outra vez e tudo aquilo que sentimos falta será ainda mais valorizado: a bagunça dos netos será sinal de alegria, o abraço será mais apertado, a comida será mais saborosa...


E nós? Nós seremos mais gratos por tudo que temos e por toda saudade que nossos antepassados suportaram por nós.


Um grande abraço,


Equipe Porto de Chegada





  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • LinkedIn

© 2020 by Porto de Chegada Genealogia.

Rio de Janeiro, Brasil